Especial Citros: “Caminhos” da citricultura no pós-crise

Os preços mais atrativos da laranja na safra 2016/17 aliviam o fluxo de caixa do citricultor, que passou por cinco temporadas seguidas de baixos valores. No entanto, essa alta não é garantia de permanência na cultura para uma parcela de citricultores. Para os que permanecem na atividade, o importante neste momento organizar um “modelo de negócios” de menor risco. A Hortifruti Brasil preparou o Especial Citros de 2016 e sugere qual caminho o citricultor pode seguir para se manter economicamente sustentável no setor.Ainda nesta edição, os analistas de mercado da HF Brasil detalham o cenário de oferta e preços para maio do mercado de frutas e hortaliças.

Leia a matéria completa sobre citros e as informações de mercado de HF na edição de maio da HF Brasil!

citros

Encontro Alltech Crop Science Citros

A ABCM, juntamente com o grupo da Alltech Crop Science, convida a todos os parceiros da citricultura para participar do evento cujo convite segue abaixo.
Contamos com a presença de todos. A confirmação da presença deverá ser feita antecipadamente através do e-mail isimoes@alltech.com.br.
Participem!

Convite_Encontro-ACS Citros_02

 

VII Dia de Citros de Mesa: da Produção à Comercialização

No dia 1º de julho de 2016 acontecerá o VII Dia de Citros de Mesa: da Produção à Comercialização. O evento será realizado no Centro de Citricultura Sylvio Moreira – IAC e contará com a presença de profissionais que são referência no setor da citricultura. Evento sob coordenação de Lenice Magali do Nascimento Abramo.

INSCRIÇÕES: enviar e-mail para lenicemagali@hotmail.com

Programação

VII Dia de Citros de Mesa: da Produção à Comercialização

01 de julho de 2016

Local: Centro de Citricultura Sylvio Moreira – IAC

Coordenação: Lenice Magali do Nascimento Abramo

Inscrições: lenicemagali@hotmail.com

8:00h: Inscrição

8:30h: Abertura

8:45h: 1ª Mesa Redonda: Manejos pré-colheita e novas variedades

Presidente de Mesa: Emilio César Fávero (Alfa Citrus)

8:45h: Controle de pragas secundárias que afetam a qualidade dos frutos.

Palestrante: Arlindo de Salvo Filho (Consultor – GTACC)

9:20h: Avanços em técnicas de manejos para incrementar a produção e o tamanho de frutos de laranjas e tangerinas no Chile

Palestrante: Júlio  Cesar Cornejo  Miñoz (Consultor – Chile)

10:00h: Citrus Break

10:30h: Variedades de laranjas e tangerinas possíveis de interesse para o mercado brasileiro.

Palestrante: Johanna Paola Martiz (Pontifícia Universidade Católica do Chile)

11:10h: Qual o impacto do cancro cítrico em relação ao processamento da fruta de mesa.

Palestrante: Franklin Behlau (Fundecitrus)

11:50h: Controle de irrigação em citros de mesa.

Palestrante: Danilo Jose Fanelli Luchiari (GTACC).

12:20h Debate

12:30h: Almoço

 

 

13:30h: 2ª Mesa Redonda: Manuseio e Tratamentos Pós-colheita e Comercialização

 Presidente de Mesa: Carlos Lucato (Citrícola Lucato)

13:30: Qualidade e aceitação de novas variedades do Centro de Citricultura –AC

Palestrante: Mariângela Cristofani-Yali (CCSM – IAC)

14:00h:  Manejo de casa de embalagem para manutenção da qualidade das frutas – Laranja e Tangerina

Palestrante: Gustavo Campanelli (Cutrale)

14:30h: Manejo de casa de embalagem para manutenção da qualidade das frutas – Limão

Palestrante: Edvaldo Costa Mello (Fazenda Costa Mello)

15:00h: Técnicas de tratamento e reutilização de agua de casa de embalagem.

Palestrante: Júlio Cesar Cornejo Miñoz  (Consultor – Chile)

15:30h: Citrus Break

15:50h: Exigências e tendências do mercado varejista brasileiro na comercialização de citros.

Palestrante: Leonardo Myao (Consultor de Agronegócios)

16:20h: Panorâmica da fruticultura nacional, mercados e suas exigências e os impactos da crise econômica.

Palestrante: Luiz Roberto Barcelos (Presidente da ABRAFRUTAS)

17:00h: Associação Brasileira de Citros de Mesa

Palestrante: Emílio César Fávero (Presidente da ABCM)

17:15h: Entrega dos prêmios destaques da citricultura 2016 pelo IAC e ABCM. Homenagens aos citricultores pelas empresas FMC e Solo Sagrado.

 

 

 

 

Hortifruti Brasil ed. 153 – Citros

Elevada necessidade industrial mantém moagem até este mês

O esmagamento de laranjas da safra 2015/16 de São Paulo e do Triângulo Mineiro deve estar praticamente encerrado em fevereiro. Em janeiro, o ritmo da moagem já havia se reduzido, mas devido à elevada necessidade industrial de matéria-prima, algumas plantas podem manter o processamento também em fevereiro, mesmo com a oferta limitada prevista para este mês. Outro fator que levou à prorrogação da atividade industrial foram as chuvas em janeiro, que paralisaram a colheita por alguns dias e, consequentemente, reduziram o volume de fruta enviado às processadoras naquele mês. Até o dia 10 de fevereiro, seis unidades das grandes indústrias estavam ativas, contra oito que ainda recebiam laranja no início de janeiro.

Tahiti está em pico de safra

A safra paulista de lima ácida tahiti está em pico de oferta. A maior concentração da colheita se iniciou em janeiro e deve durar até o final deste mês. A expectativa é que a temporada 2016 seja de oferta bastante elevada de tahiti, já que o regime de chuvas foi mais regular no segundo semestre do ano passado nas principais regiões citrícolas. A disponibilidade da fruta, inclusive, deve ser maior que em 2015, pois no ano passado a safra teve impactos da seca registrada no segundo semestre de 2014. Nesse cenário de oferta elevada, a expectativa é que os preços fiquem em baixos patamares no mercado de mesa. Contudo, a demanda industrial a valores considerados atrativos pode contribuir para amenizar a queda nas cotações da fruta in natura.
O preço médio da tahiti enviada às fábricas em janeiro foi de R$ 12,84/cx de 40,8 kg, colhida e posta na processadora, aumento de 12% em relação ao valor oferecido no mesmo período do ano passado – valores deflacionados pelo IPCA de dezembro/15. Além da demanda industrial, outro fator que influencia as cotações de lima ácida tahiti no mercado doméstico é a exportação da fruta fresca. Em 2015, o Brasil registrou o quinto recorde consecutivo de volume de limões e limas embarcados. Para este ano, há expectativa de que novamente a demanda externa seja firme, já que a fruta brasileira tem ganhado espaço lá fora.

Oferta de laranja deve ser limitada no mercado in natura

Em fevereiro, o volume de fruta ofertado deve ser bastante limitado no segmento in natura. Apesar da estimativa do Fundecitrus, de que cerca de 10% da safra corresponderia às frutas da terceira e quarta floradas, agentes estimam que não haja muitas frutas com padrão para mercado de mesa para serem colhidas em fevereiro. Além do período atual ser considerado praticamente de entressafra de laranja pera, as frutas tardias foram colhidas com bastante intensidade em dezembro e janeiro.
Isso porque as chuvas constantes aceleraram seu crescimento, que em alguns casos ultrapassaram o tamanho aceito pelo mercado in natura, tendo que obrigatoriamente ser comercializadas à indústria. Agora, a oferta deve se restringir basicamente às peras temporãs, também em volumes limitados. Assim, há expectativa de que os preços desta variedade se elevem no mercado de mesa.
Além disso, fevereiro costuma ser um mês de altas temperaturas, cenário que favorece as vendas de laranja. Em janeiro deste ano, as cotações da fruta já foram superiores às de 2015, com média de R$ 18,39/cx de 40,8 kg, na árvore, aumento de 7% em relação a janeiro de 2015 – valores deflacionados pelo IPCA de dezembro/15.

fonte: CEPEA – Revista Hortifruti Brasil – hfcitros@usp.br

ABCM e Centro de Citricultura realizam VI Dia de Citros de Mesa da Produção à Comercialização

Em 17/07/2015 o Centro de Citricultura Sylvio Moreira do IAC em parceria com a Associação Brasileira de Citros de Mesa (ABCM) realizou o evento VI Dia de Citros de Mesa – da Produção à Comercialização, coordenado pela Pesquisadora Lenice Magali do Nascimento Abramo. O evento contou com a presença de aproximadamente 250 pessoas ligadas ao setor. Para abrir o evento contou-se com a presença do Deputado Federal e Secretario de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo Sr. Arnaldo Jardim, do Coordenador da Agencia Paulista de Tecnologia dos Agronegócios Sr. Orlando Melo de Castro, do Vice Diretor do IAC Sr. Gabriel Blaine e do Presidente da Associação Brasileira de Citros de Mesa Sr. Emílio Fávero.

A programação foi composta de duas mesas redondas sendo que a primeira, no período da manhã, tratou de nutrição, novas variedades e processamento, com a coordenação do engenheiro agrônomo Arlindo de Salvo Filho. Nesta primeira mesa redonda o engenheiro agrônomo da empresa Cytozyme Laboratories, Ricardo Toledo, apresentou os resultados obtidos com os trabalhos realizados com o impacto do estresse nos citros e como corrigir seus efeitos. Em seguida a pesquisadora científica Marinês Bastianel e o engenheiro agrônomo César Graf apresentaram as novas variedades com potencial para a citricultura de mesa desenvolvidas no Centro de Citricultura e na Citrograf.

Para falar das linhas de processamento para tratamentos de frutos em pós-colheita contou-se com a presença do consultor espanhol Paco Mora. No período da tarde a segunda mesa redonda tratou dos custos, agroquímicos e processamento e foi coordenada pelo Sr. Emílio Fávero, Presidente da Associação Brasileira de Citros de Mesa.

A primeira palestra deste período foi apresentada pelo produtor e beneficiador Carlos Alberto Lucato que trouxe suas experiências sobre a agregação de valor e seus impactos nos custos da fruta de mesa. Em seguida contou-se com a colaboração da ANDEF através de seu representante que veio nos trazer informações sobre regulamentação dos agroquímicos e aplicação de produtos não autorizados. Foi apresentada também uma palestra do representante da Paripassu, Giampaolo Buso, o qual trouxe várias informações sobre rastreabilidade e sua importância na comercialização de citros. Novas oportunidades para a citricultura de mesa foram apresentadas pelo representante da empresa Jacobs Citrus, Júlio César Jacob, que falou de suas experiências com a produção de suco e de frutas descascadas. Encerrando as palestras o Sr. Emilio Fávero, presidente da ABCM falou sobre o andamento da Associação e as propostas futuras.

Encerrada a parte técnica realizou-se a entrega dos Prêmios Destaques da Citricultura de Mesa 2015. Este ano receberam os prêmios: Destaque Produtor de Laranja a Empresa Comercial Agrícola Irmãos Bardin representada pelo Sr. Donizete Bardin, Paulo Roberto Bardin, Antonio Vitorino Bardin, Adilson José Bardin e Elso Bardin; Destaque Produtor de Laranja Lima a empresa Quartieri representada pelo Sr. Domingos Sérgio Quartieri; Destaque Produtor de Tangerina a empresa Anatriello e Barroti representada pelos Srs. Claudimilson César Anatriello e Giovanni Barroti; Destaque Produtor de Limão a empresa Comércio de Frutas Del Grossi representada pelo Srs. Fernando Del Grossi e João Eduardo Del Grossi e Destaque Produtor de Tangerina Decopon à empresa Viva Flora Frutas representada pelo Sr. Ronaldo Kievitsbosch.

Os Prêmios Destaques Casas de Embalagens foram dados às Empresas Citrícola Lucato, Fazenda Santa Eliza, Sucocítrico Cutrale e Andrade Sun Farms Agrocomercial, pelos investimentos em novas tecnologias e expansão dos packinghouses. Numa parceria com a FMC foram entregues troféus aos consultores que vem investindo trabalho e confiança na cultura dos citros: Arlindo de Salvo Filho, Rubens Rossetti, Paulo Assunção, Mauro Braga, Décio Joaquim, Campo Consultoria, GCONCI, GTACC.

Para a realização do evento a equipe organizadora contou com a parceria das empresas Alfa Citrus, Alltech, Defensive Agrovante, Andrade Sun Farms, Aruá Tecnologia de Pós-colheita, BASF, Citrograf, Citrus Aliança, Citrus Tree, Costa Mello, Cutrale, Decco, Dioxiplus, Frexus, FMC, Industrade, Grupo Sommar Itacitrus, Jacto, Citrícola Lucato, Qualicitrus, Raphael Juliano, Santa Eliza Citros, Solo Sagrado, Stoller, Villalva Frutas e Wiser. A todas estas empresas estendemos os agradecimentos dos organizadores pela colaboração financeira que possibilitou a realização deste dia técnico.
Os organizadores agradecem também a todos aqueles que vieram ao Centro de Citricultura prestigiar o VI Dia de Citros de Mesa, produtores, consultores, empresários, estudantes, professores, enfim a todo o publico ligado a este importante elo da cadeia produtiva, pois somente com a presença deste público que o evento obteve mais uma vez um enorme sucesso.

Lenice Magali do Nascimento Abramo
P/ Comissão Organizadora

Encontro Técnico de Citros de Mesa reune profissionais do setor para uma discussão sobre o mercado de consumo

Na última sexta-feira (8 de maio) foi realizado o Encontro Técnico de Citros de Mesa que reuniu profissionais do setor para uma discussão sobre o mercado de consumo, enfoques de planejamento no pós colheita e a aplicação da tecnologia de informação nos Citros de Mesa.

Agradecimentos a todos os participantes, em especial à Aruá, Bambu5 Consultoria e à Citrícola Lucato.

IMG_5810-1024x300 IMG_5847-1024x442 IMG_5856-1024x375