1 de janeiro de 2023

A liderança da citricultura brasileira no mercado mundial

A liderança da citricultura brasileira no mercado mundial

Setor altamente organizado e competitivo, a citricultura é uma das mais destacadas agroindústrias brasileiras. Responsável por 60% da produção mundial de suco de laranja, o Brasil é também o campeão de exportações do produto.

O cultivo de laranja no Brasil se divide em dois períodos distintos. O primeiro, de 1990 a 1999, se caracteriza pelo aumento da produção e conquista da posição de líder do setor. O segundo, a partir de 1999, é o período de consolidação da capacidade e desempenho produtivo. São colhidas, anualmente no País, mais de 18 milhões de toneladas de laranja ou cerca de 30% da safra mundial da fruta.

Contudo, ainda é preciso mostrar que além de ser competitivo, o setor gera muitas riquezas para o nosso País. Do fertilizante utilizado pelo citricultor até a laranja consumida em casa ou o suco vendido para a Europa, o complexo citrícola movimenta bilhões de dólares que circulam pela economia brasileira. Além disso, o setor emprega 230 mil pessoas diretamente em mais de 300 municípios, contribuindo assim para o desenvolvimento nacional e regional.

O mapa da cadeia citrícola é responsável por demonstrar em números a grandeza do setor, podendo ser dividido em três fases: antes, durante, e após as fazendas. Somente no primeiro momento, que envolve todos os insumos para a produção agrícola – como fertilizantes, mudas, máquinas e implementos, corretivos, sistemas de irrigação e defensivos – são movimentados US$819 milhões de dólares. Após isso, com o plantio e a colheita, o trabalho do produtor gera mais US$ 2 bilhões, obtidos com a venda das frutas cítricas no mercado varejista, para as packing houses, ou para a indústria processadora de sucos.

A venda de cítricos in natura no mercado interno gera US$1,8 bilhões, enquanto as exportações US$ 73 milhões. Já a indústria de sucos movimenta US$2,2 bilhões, valor explicado pela produção competitiva e em larga escala, que utiliza avançada tecnologia e complexo sistema logístico. O valor gasto com insumos industriais é uma prova disso: são 327,9 milhões de dólares, grande parte alocada em gastos com energia, que incluem fontes limpas como o bagaço de cana.

A maioria dos sucos cítricos produzidos industrialmente, quase 97%, é exportada para depois ser engarrafada. Uma pequena parcela é comprada por engarrafadores no Brasil e vendida no mercado interno, ainda muito reduzido para o suco de laranja industrializado. Além dos sucos, são subprodutos do processo industrial óleos, essências e outros componentes das frutas cítricas, que também podem ser exportados.

Fonte: MAPA, citrusBR.

Veja também
Você pode gostar
ABCM participa da primeira reunião das Câmaras Setoriais Temáticas
+
ABCM participa da primeira reunião das Câmaras Setoriais Temáticas

No dia 20 de fevereiro de 2024, ocorreu a Primeira Reunião de Presidentes da CST/SAA-SP. A Coordenação das Câmaras Setoriais e Temáticas da Secretaria de ...

23 de fevereiro de 2024
IFPA Brasil lança Campanha de Citrus 2023: Benefícios das Laranjas, Limões e Tangerinas para a Saúde neste Inverno
+
IFPA Brasil lança Campanha de Citrus 2023: Benefícios das Laranjas, Limões e Tangerinas para a Saúde neste Inverno

Estimular o consumo de Citrus para o seu consumidor como fonte de saúde é uma iniciativa inteligente, benéfica para todos e promove um estilo de vida saudável ...

20 de julho de 2023
ABCM participa da assinatura do comitê de combate ao greening, decreto assinado pelo governador Tarcísio atende demandas do setor
+
ABCM participa da assinatura do comitê de combate ao greening, decreto assinado pelo governador Tarcísio atende demandas do setor

A Associação Brasileira de Citros de Mesa, representada pelo seu Presidente Carlos Lucato, marcou presença no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo, durante o ...

30 de novembro de 2023
siga @abcmcitros no Instagram